Observatório Gaúcho

As notícias do Rio Grande do Sul

Embate político e trabalhista torna refém a população de Porto Alegre

A semana de 27 de janeiro a 2 de fevereiro de 2014, em Porto Alegre, trouxe fortes emoções ao cidadão da capital do Rio Grande do Sul. Sem surpresa,  anunciada previamente nos meios de comunicação, deixou o trabalhador a pé, sem o transporte coletivo. O trabalhador vinculado ao Sindicato dos Rodoviários cruzou os braços buscando melhor remuneração. Inicialmente, o movimento foi legal, descambou logo à desobediência a acordos e decisões no âmbito da Justiça Trabalhista. O resultado é que chegamos a um fim de semana sui generis – normalmente, janeiro, em Porto Alegre, depois de acabado o vestibular da UFRGS, é calmo…calmíssimo…mas este que está a acabar foi maravilhoso para quem ficou na cidade e pôde dispor de transporte próprio.

O curioso foi o embate entre o Prefeito Municipal José Fortunati e o Governador Tarso Herz Genro, comandante da força pública local (Brigada Militar). Um exigia a utilização dos brigadianos para garantir a circulação dos ônibus ou ameaçava chamar a Força Nacional. Fortunati, como presidente da Frente Nacional dos Prefeitos, deveria saber que a intervenção da Força Nacional só acontece a partir da formalização de uma solicitação endereçada pelo Governador do Estado ao Ministro da Justiça… O Governador aproveitou o comportamento populista do Prefeito e aproveitou para alfinetar seu adversário político. Respaldou o Secretário da Justiça e da Segurança em respostas públicas duras – disse o Promotor de Justiça Airton Michels que conflito trabalhista se resolvia entre empregados e patrões na Justiça do Trabalho e sem a presença de força repressiva. E que só agiria a partir de ordem da própria Justiça.

Solicitada pelo Prefeito a determinar o uso da Brigada Militar no episódio, a Justiça do Trabalho negou-se.

Resultado: comércio sem trabalhadores e sem público consumidor; setor público atendendo a meio ritmo, rotinas dos cidadãos abruptamente modificadas…Greve é greve em qualquer lugar do mundo e é realizada justamente para prejudicar inicialmente o patrão e atingir o consumidor..que, no caso, é uma grande parte da população local que não dispõe de condução própria.

Para o bem das instituições políticas locais, os dois, Prefeito e Governador, se encontraram no sábado e sintonizaram o discurso. Vamos ver como será esta semana em que o Prefeito Municipal promete diminuir a dificuldade de transporte público com o uso das vans e onibus escolares…cuja circulação o Governador disse, no domingo (hoje),  vai acompanhar e intervir com a Força Pública, se necessário, para viabilizar…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 02/02/2014 por em Atualizações.
%d blogueiros gostam disto: